16 de Julho de 2020

“Como juízas mulheres julgam mulheres por tráfico de drogas” é o tema da nova monografia digital do IBCCRIM

O Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) lançou no dia 16 de julho uma nova monografia digital, de autoria de Luciana Costa Fernandes: “Como juízas mulheres julgam mulheres por tráfico de drogas: discursos criminológicos reforçando privilégios e silenciamentos na cidade do Rio de Janeiro”. A publicação está disponível para associados(as) do IBCCRIM.

O trabalho ficou em 3º lugar na Chamada Temática de Monografias em Ciências Criminais sob a categoria “Democratização do sistema de justiça criminal: processo e direitos fundamentais”.

Por meio de entrevistas com juízas, observações de audiências e sentenças criminais, a monografia procurou analisar “a forma como opressões de gênero, raça e classe estão envolvidas nos processos de criminalização de mulheres por tráfico de drogas” na capital fluminense. “Depoimentos, performances e dispositivos são indiciários da forma como racismo, branquitude e cisheteropatriarcado se apresentam em práticas judiciária”, afirma a autora.

Sobre a Chamada Temática de Monografias em Ciências Criminais

Para além do tradicional Concurso de Monografias em Ciências Criminais, o IBCCRIM também seleciona trabalhos (resultantes de teses de doutorado e dissertações de mestrado) a partir da Chamada Temática de Monografias em Ciências Criminais. Para além deste trabalho, foram selecionados outros dois:


1º lugar - Já disponível para associados(as)


Oralidade e contraditório do Processo Penal brasileiro: em busca da superação da tradição inquisitorial


Autor: Marcos Eugênio Vieira Melo


2º lugar - Já disponível para associados(as)


As investigações internas no âmbito do criminal compliance e os direitos dos trabalhadores


Autora: Anna Carolina Canestraro